Você sabe o que é doença hemorroidária?

doenca-hemorroidaria-dr-fabio-atui

Todas as pessoas possuem vasos hemorroidários.

Estes são dilatações das veias na região do canal anal e têm a função de “coxim” para a musculatura do ânus. Eu explico, quando o músculo do esfíncter do ânus se contrai o ânus se fecha, para que o fechamento seja continente, ou seja consiga evitar a saída até de gazes, a natureza colocou três dilatações venosas nesta região, que funcionam como a borracha da porta do carro, se amassam umas contra as outras proporcionando o perfeito fechamento do ânus e a continência.

Algumas vezes, por uma série de razões como:

– carregar muito peso;

– fazer força para evacuar;

– tendência genética;

– motivos não definidos;

estes vasos podem se dilatar e se transformar em varizes (vasos dilatados e tortuosos), mesmo dilatados, isto não configura (ainda) doença hemorroidária, para que se defina doença hemorroidária uma de três coisas deve acontecer:

– sangramento (que em geral não é doloroso)

– trombose hemorroidária (coagulação do sangue no interior deste vaso causando um nódulo duro e dor na região do ânus)

– prolapso hemorroidário (saída de parte da mucosa do ânus através do canal anal, esta mucosa, por não estar preparada para a exposição ao ar e à roupa íntima, pode causar assaduras na pele perianal e ulceras nesta região, levando a dor, coceira e desconforto)

A doença hemorroidária tem como característica crises de melhora e de acalmia, estas crises podem se tornar mais frequentes e mais intensas levando a uma piora progressiva do quadro.

Inicialmente, em hemorroidas pequenas, o tratamento é feito através de dietas com fibras, orientação quanto a higiene através de banho de assento e pomadas.

Casos um pouco mais avançados podem ser tratados com ligadura elástica e aplicação de luz infra vermelha, cauterizando a hemorroida no próprio consultório do médico evitando a internação e a anestesia.

Entretanto, muitos pacientes têm uma piora progressiva das crises, configurando casos mais complexos que acabam levando o indivíduo à optar pela cirurgia.

No passado, a cirurgia de hemorroida era realizada retirando-se o vaso dilatado, causando uma lesão no canal anal, uma região muito inervada (cheia de nervos), sensível e cujas funções não podem esperar a cicatrização para voltar a acontecer, ou seja, a cirurgia era muito temida e evitada.

Atualmente, a cirurgia para correção da hemorroida pode ser feita com outra técnica, que usa um dispositivo que faz um grampeamento da mucosa retal (pouco inervada e menos delicada) causando assim, menos dor e menor desconforto pós operatório.

É muito importante lembrar que os sintomas da hemorroida podem se confundir com os do câncer de reto ou de cólon, por isto não bobeie, sangue nas fezes significa que um médico deve ser consultado.

Fique de olho!

Saúde !

Dr Fabio Atui Cirurgia do Aparelho Digestivo e Coloproctologia

3 ComentáriosDeixe seu comentário

Deixe uma resposta