Você sabe o que é pedra na vesícula?

Você sabe o que é pedra na vesícula?- Dr Fabio Atui Cirurgia do Aparelho Digestivo e Coloproctologia

Muitas vezes, as pedras na vesícula são achados incidentais de exames de rotina. Isto é, durante um check up ou quando o paciente está investigando outra coisa qualquer, há uma surpresa e nota-se os cálculos na vesícula biliar.

Cálculos biliares são pequenas pedras que se formam na vesícula biliar, responsável por armazenar a bile, um líquido esverdeado produzido pelo fígado, que facilita a digestão de gorduras para o organismo absorver com mais facilidade este nutriente, além de ajudar o trânsito intestinal.

Às vezes, dependendo do seu tamanho, número, forma da vesícula e calibre da via biliar, essas pedras podem migrar e causar um bom estrago.

Quem tem pedra na vesícula pode não sentir nada, ou somente sintomas tão leves que se confundem com gastrite ou desconforto no fígado, quando se come algo muito gorduroso. A pedrinha pode ficar lá por décadas e nada acontecer. Foram até descritas múmias do Egito com cálculos na vesícula, que morreram de outra causa.

Quando comemos comida com gordura, nossa vesícula biliar se contrai, expelindo a bile para cumprir sua função na digestão. E se essa saída fica obstruída pela pedra, pode acontecer a colecistite aguda (inflamação na vesícula biliar) ou a pedra pode passar pela vesícula e impactar e obstruir o ducto mais abaixo, levando a icterícia (pela amarela), ou até a grave pancreatite aguda biliar, quando entope o canal do pâncreas.

A colecistite aguda é caracterizada por uma dor, que começa no estômago e depois é sentida nas últimas costelas do lado direito. E não para por aí. Essa cólica fica mais forte e acaba se irradiando pelo abdômen superior e pelas costas, seguida de enjoo e vômito. O próximo passo é ser levado às pressas para o hospital.

A crise de cólica continua enquanto a pedrinha ficar no duto. No entanto, muitas podem voltar para a vesícula ou ser empurradas para o intestino. Quando isso ocorre, a dor diminui, em alguns casos a única forma de tratar esta crise é por meio de cirurgia de emergência.

Já, a pancreatite aguda acontece quando o ducto de drenagem do pâncreas conflui com as vias biliares e existe um orifício comum de drenagem destes dois órgãos. Se o cálculo entupir nesta região, a drenagem da vesícula e do pâncreas fica comprometida causando a  pancreatite aguda biliar.

Este é um quadro mais trágico que a colecistite, e, felizmente, mais raro. Nestes casos, a dor é mais posterior, no meio das costas, cursa com febre e rapidamente causa queda do estado geral e leva o paciente ao pronto socorro e frequentemente para a UTI.

Os cálculos biliares costumam afetar mais mulheres e suas causas são diversas. Porém, alguns fatores aumentam o risco: alimentação pobre em fibras e rica em carboidratos e gordura, vida sedentária, diabetes, obesidade, pressão alta, fumo, uso prolongado de anticoncepcionais, elevação do nível de estrogênio (o que explica o número maior de mulheres atingidas), predisposição genética, deficiência da vesícula biliar em esvaziar a bile corretamente (isso é mais provável de acontecer durante a gravidez), cirrose hepática, perda rápida de peso (especialmente se estiver fazendo uma dieta com poucas calorias).

O tratamento da colelitíase (pedras na vesícula) é feito por meio de cirurgia por via vídeo laparoscópica, raramente opta-se por não operar o paciente, especialmente para se evitar o risco cirúrgico em pacientes que têm estado geral ruim, outras doenças graves ou idade muito avançada.

A cirurgia consiste em retirar a vesícula biliar através de quatro furos na parede abdominal. Mais recentemente, oferecemos em alguns casos a possibilidade de operar através de um único furo, um pouco maior pela técnica chamada de “single port”.

Uma vez que se trata de um procedimento pouco invasivo, a recuperação dos pacientes e a volta a suas atividades normais é rápida. Entretanto, tenha em mente que esta região é muito delicada e merece que você consulte um bom especialista na área para realizar o procedimento.

Por isso, se você encontrou uma pedra na vesícula, discuta com seu médico a possibilidade de operar antes que ela cause alguma surpresa.

Fique de olho
Saúde!

Dr Fabio Atui Cirurgia do Aparelho Digestivo e Coloproctologia

13 ComentáriosDeixe seu comentário

  • Tive pancreatite e operei em dezembro de 2014. Três meses após ter tido minha filha comecei a sentir dores insuportaveis, fiz exames e eu tive o diagnóstico de pancreatite com meus 21 anos. Foi feita a retirada das pedras (4 pedras) e da vesícula por 4 furos no abdômen, e hoje em dia tenho vida normal não sinto mais nada graças a Deus !

  • Descobri uma pedra de tamanho 3cmx2cm em Dez/2001 . A dor manifestou-se em duas oportunidades (finais de semana próximos um do outro), onde de estômago vazio, comi alguns pedaços de queijo bem amarelo (gorduroso) mais uns goles de cerveja. Marquei a cirurgia para a retirada da vesícula, porém a cirurgia foi abortada devido à um outro problema encontrado na oportunidade. Convivo com ela até os dias de hoje, apenas fazendo dietas, excluíndo do meu cardápio gorduras e o excesso de cerveja.
    Uns 30 dias atrás, voltei e fiz um novo exame, e o médico constatou que aquela continua do mesmo tamanho, porém apareceram mais 05 pedras menores. Estou começando à me preocupar. Agora são 06 no total. À isso eu chamo de “formação de quadrilha”!! rsrs Uma orientação de um especialista, seria ótimo!!! Obrigado!!

  • Sofri muitas dores e foi encontrada uma pedra na visícula no dia 30/10/2014 retirei a pedra ma continue com dores e vómitos fiz uma tomografia abdominal e foi encontrada outra pedra no canal do pancreas no dia 06/01/2015 fiz outro processo e foi encontrada mais 7 pedras. Fiz os exames de sangue e continua alterado. Tornei faze novo exame e vou saber o resultado amanha de de alterado novamente o que pode ser.
    estou preocupada tenho 71 anos, mas não estou sentindo mais nada
    se poder me responder desde já agradeço
    Neide

  • Tenho minha vesícula tomada por pedras mas só dói do lado esquerdo todos os dias, tive uma cólica terrível durou 4 dias mas agora é só dor e enjôo . Sou alérgica a todos remédios que tenha dipirona sódica, acetil acetilnico e diclofenaco. Estou tentando juntar dinheiro pra cirurgia

  • Eu tenho pedra na visicula, estou na fila do hospital Getúlio Vargas a mais de 6 meses , tenho crises, vou até o hospital sou medicada e me mandam pra casa. Como é uma fila tenho que aguardar e conviver com as.dores e desconfortos .

  • Há trinta e quatro anos , retirei a vesícula depois de três crises . As dores eram exatente como o dr. falou. Começa do lado direito e passa para as costas e causa vômitos. E depois da crise, o abdômen fica todo dolorido . Desde a cirurgia nunca mais senti nada, graças a Deus!

Deixe uma resposta